Página Principal / Meditação em Palavras / Como lidar com a insegurança

Como lidar com a insegurança

Amados, gostaria de partilhar com vocês alguns comentários sobre um sentimento que está presente na vida de todo buscador espiritual, a insegurança.

A origem de qualquer sentimento que convencionamos chamar de negativo, de baixa vibração, tem como origem um momento de ignorância, vem do fato de você não estar consciente da realidade, consciente do amor.

E com a insegurança não é diferente, se você se sente inseguro, é porque você se sente separado da Fonte, separado do amor. Se você se sente inseguro, quer dizer que você tem medo que algo de errado, que algo de ruim lhe aconteça.

E por trás de toda ignorância ao amor, existe um sistema de crenças muito bem instalado no inconsciente. Então para compreendermos da onde vem a insegurança, precisamos compreender o inconsciente coletivo do que é considerado segurança.

E o conceito de segurança, no inconsciente coletivo, está totalmente atrelado a questão da estabilidade. Nós fomos educados para termos um emprego estável, um endereço estável, um relacionamento estável… a estabilidade é o sonho de consumo do comportamento padrão.

Acontece que essa forma de pensar vai totalmente contra a forma de pensar de Deus. Tudo na existência está crescendo, se tornando mais complexo, evoluindo sem parar. Isso a ciência já foi capaz de constatar: o universo está se expandindo o tempo todo. E isso quer dizer que se você não estiver crescendo sem parar, evoluindo dia após dia, você não estará no fluxo da existência e isso, inevitavelmente, irá lhe causar dor. A teoria do caos existe exatamente para isso, ela é a combatente número um da zona de conforto.

E para constatar isso, basta você olhar ao seu redor. Veja quantas pessoas possuem um relacionamento considerado estável, seguro, possuem um emprego considerado estável, seguro, e estão infelizes.

Qualquer segurança diferente da oriunda da certeza de que você e a Fonte são Um é pura ilusão. Você pode se sentir seguro, até que seja demitido, então você vê toda sua segurança indo embora. Você pode se sentir seguro, até que sua companheira resolva te deixar, então toda sua segurança se esvai. Você pode se sentir seguro, até que uma doença se manifeste, então toda segurança irá por água abaixo.

O que eu estou querendo dizer, meus queridos, é que você só irá se sentir realmente seguro quando acordar da ilusão da separação. Enquanto isso não acontecer, você estará preso ao medo e, consequentemente, a insegurança.

E é exatamente isso que está acontecendo, você está despertando da ilusão da separação e se movendo em direção a unificação. E isso corresponde a dizer que você está se tornando consciente que a segurança não está nas crenças que lhe foram ensinadas a vida inteira, e sim na jornada espiritual que te levará a autorrealização.

A partir desse momento que você toma essa consciência, a insegurança surgirá como num passe de mágica. É exatamente nesse momento que o ego irá disparar o alerta de perigo máximo, qualquer movimento que você faça em direção a unificação, será alvo de severas retaliações por parte do ego.

Então o cenário é o seguinte: você já percebeu que o que a sociedade propõe como certo, como seguro, não é o que ressoa com você. Através da meditação, dos seus insights, você já teve acesso, via coração, a uma nova realidade, uma Nova Era. Acontece que por mais que você já tenha sentido isso, que em momentos de conexão você atinja a pura confiança, na matéria, na terceira dimensão, essa ainda não é a realidade e o ego, sagaz como ele só, irá se aproveitar muito bem disso.

Então dentro de você sempre haverá aquela dúvida oriunda do: só acredito vendo. E ela será reforçada por todos os lados, é eu só acredito vendo da família, é eu só acredito vendo dos amigos, é eu só acredito vendo da ciência e, consequentemente, da sociedade… é uma metralhadora de materialismo vinda de todos os lados.

E para se livrar da insegurança, apesar de parecer contraditório, o primeiro passo a ser dado é aceitá-la. E, por gentileza, não confundam aceitar com se tornar conivente. O que eu estou querendo dizer é que você precisa parar de negar a insegurança. Você só irá conseguir resolver um problema quando conhecê-lo por inteiro, quando o tiver mapeado 100%. Então para que você consiga enxergar o que está por trás da insegurança, a sua origem, você tem que parar de negá-la e trazê-la para o seu campo de compreensão.

Uma vez que você tenha parado de lutar contra, que tenha movido sua energia da negação para a aceitação, a compreensão da insegurança se torna possível. E a questão é simples: se o seguro é o que a sua família tem como certo, se o que a sociedade tem como certo, é óbvio que você estará se movendo contra o seguro, que estará entrando na zona do incerto.

Acontece que você já pensou igual a sua família e a sociedade durante muitas vidas, então por mais que a mudança esteja gritando dentro de você, ainda existem antigas crenças rodando em zonas ainda não exploradas, no seu inconsciente.

O que eu estou querendo dizer, meus amados, é que a insegurança é completamente natural na jornada de qualquer buscador espiritual. Enquanto você estiver no momento de transição, enquanto não se recordar quem realmente é, você terá que aprender a lidar com ela.

Então vamos analisar um exemplo para que as coisas fiquem mais claras.

O despertar provoca uma mudança radical na forma como vemos o mundo, praticamente da noite para o dia, você se torna uma outra pessoa. E é natural que essa transformação interna tenha seu reflexo no externo, na matéria.

Então um caso muito comum é o seguinte: a pessoa, ao despertar, se torna consciente que o que está fazendo em sua vida profissional não é aquilo que ela realmente gostaria de fazer. E aqui tanto faz se ela já está trabalhando, se está na graduação, ela pode até estar desempregada, mas tomou consciência que a atividade que está exercendo, ou se propondo a exercer, não é o que ressoa com sua alma.

E na maioria dos casos não se trata de uma descoberta do propósito, ela não quer abandoar o que está fazendo porque se lembrou o que veio fazer, ela simplesmente sentiu que aquilo que está sendo feito não é a sua verdadeira missão.

Agora sejamos sinceros, essa situação é ou não é um prato cheio para o ego? Ele quer sempre ter controle de tudo, quer saber o que vai acontecer com antecedência, então ao você colocar a incerteza como futuro, ele responderá com a insegurança.

E é exatamente nesse momento que se origina o que eu chamo carinhosamente de: looping eterno de uma mente sem lembranças. (Risos amorosos)

E o looping eterno de uma mente sem lembranças se origina do seguinte cenário: quanto mais você pratica a meditação, quanto mais consegue ficar no agora, mais clareza você vai adquirindo. E muitas vezes ter clareza não quer dizer que você saiba o que tem que ser feito, e sim que você compreendeu o que não deve mais ser feito. Então quando você atinge esses estados de conexão, você tem toda certeza das movimentações que devem ser feitas.

Acontece que você está na Terra da terceira dimensão, você está vivendo em uma matrix que foi programada para você não ter nenhuma clareza. Quanto mais confuso você ficar, quanto menos atento você estiver, mais estará contribuindo para a sustentação da matrix. O que eu quero dizer é que a todo momento sentimentos de baixa vibração que minam a sua confiança, que te fazem entrar na dúvida, estarão lhe sendo oferecidos.

Então o looping eterno de uma mente sem lembranças é o produto da oscilação entre os momentos de confiança, onde você tem clareza do que deve ser feito, com os momentos de desconfiança, onde você cai nas armadilhas do ego e entra na insegurança mais uma vez.

Agora vamos analisar essa situação. Se você tomou consciência que precisa se movimentar, que precisa de mudanças, é porque você detectou que não está feliz, que o que você está fazendo não lhe dá prazer. E se você reconheceu que não está feliz e isso provocou um desejo de mudança, quer dizer que, consciente ou inconscientemente, você está partindo do princípio que a prioridade é ser feliz.

E é exatamente dessa constatação que nasce o looping, você entra em estado meditativo, tem a clareza que o que importa na vida é ser feliz, que você precisa tomar uma ação em relação a isso e, momentos depois, seja pelo motivo que for, você abaixa sua vibração, entra na dúvida e se sente inseguro. Passado um tempo, você entra em estado meditativo de novo, a certeza reaparece com toda força, até que um medo cruze seus pensamentos novamente, você se identifica com ele, abaixa sua vibração e dá espaço para a insegurança atuar mais uma vez. E por aí vai…

E o looping é de uma mente sem lembranças porque é exatamente isso que acontece, por mais que surjam novas dúvidas, novos medos, no final, depois de você analisar tudo de novo, você chega a mesma conclusão: o que importa mesmo é ser feliz.

Então quando eu digo que o primeiro passo para se livrar da insegurança é aceita-la, eu quero dizer que você precisa se tornar consciente que os motivos que a originam não irão desaparecer. Não espere que seu ego vá um dia se sentir confortável em não saber o futuro, em não ter o controle sobre os próximos passos, isso nunca irá acontecer, não foi para isso que ele foi criado.

Ao mesmo tempo que você não pode esperar que sua família, seus amigos, a sociedade como um todo, compreenda e aceite suas mudanças – que para eles são radicais – numa boa, te apoiando integralmente.

É fato que um dia todos acordarão para a realidade, acordarão para o amor. E quando isso acontecer, eles irão compreender totalmente o que você está passando, o que está sentindo. Mas isso é um processo que diz respeito ao livre arbítrio, ou seja, não dá para saber quando irá acontecer, depende do desejo de cada um.

E enquanto esse dia não chegar, o que será oferecido para você será: medo, incompreensão, insegurança, revolta… uma gama de sentimentos de baixa vibração oriundos da cegueira espiritual.

O que eu quero dizer, amados, é que é completamente compreensível que as pessoas que ainda não despertaram projetem todo medo delas em cima de vocês. E não se trata de agir na maldade, e sim, de um medo oriundo do desconhecido, do que os olhos físicos não podem captar.

Por isso a compaixão é o caminho. Você já esteve do “outro lado”, você também dormiu um sono profundo durante muito tempo, então pensando com o sistema de crenças antigo, é completamente natural que exista o medo. Assim como é completamente natural que você tenha suas oscilações. Por mais que o seu desejo seja de se manter confiante o tempo todo, ainda existem pontos cegos dentro de você que dão abertura para as dúvidas que, somadas ao fator inconsciente coletivo, fazem com que você entre na insegurança mais uma vez.

É óbvio que o seu desejo, a sua intenção, devem ser a de se manter confiante; assim como é óbvio que se punir, se sentir culpado por ter entrado na insegurança mais uma vez, em nada vai contribuir para acabar com ela. Muito pelo contrário, qualquer sentimento negativo ajudará a sustentar a insegurança. Então assim como você deve ter compaixão com quem te oferece insegurança, você precisa ter autocompaixão com suas próprias inseguranças.

A partir do momento que você para de brigar com a insegurança, ou seja, que você para de negá-la e de se sentir culpado, você está pronto para se aprofundar nas suas origens.

E se você quer realmente compreender algo, se você quer se tornar consciente, você terá que olhar para esse algo de forma meditativa. Como bem dito por Osho no nosso texto É doce ser livre, meditação não é algo que você tenha que fazer um pouco por dia, uns dias mais e outros menos. Não, meditação tem que ser seu estado natural. E a questão é simples: ou você está em estado meditativo, ou está com medo; ou você está em estado meditativo, ou está com raiva; ou você está em estado meditativo, ou está com ciúme… resumindo: ou você está observando, ou está identificado.

E é por isso que a meditação é o caminho para a compreensão, independentemente do que seja, você só irá compreender completamente algo quando for capaz de analisá-lo em sua totalidade, quando o tiver mapeado 100%. E para chegar nesse nível de excelência, você não pode estar identificado com esse algo, pois caso isso aconteça, a identificação o deixará cego e você perderá a compreensão em sua completude.

Então quanto mais tempo você ficar em estado meditativo, quanto mais observar, mais afundo você consegue mergulhar na insegurança e, consequentemente, maior vai se tornando o seu grau de compreensão. E se você realmente se tornar o observador, se incorporar a meditação em sua vida, você enxergará que a insegurança vem do medo e, que o medo, tem sua origem na crença de que algo de ruim possa lhe acontecer. Portanto, a insegurança se origina na falta de confiança que Deus, o Todo, é puro amor e só quer o seu bem.

O que eu quero que vocês compreendam, amados irmãos, é que qualquer sentimento negativo não existe por si só, ele é uma negação ao amor. Se você estiver em fase com Deus, se você estiver acordado para a realidade do amor, então a segurança será seu estado natural. Para que você possa criar a insegurança, para que exista o medo, você precisa, primeiro, negar a realidade, você precisa realmente acreditar na separação.

E essa desconfiança só pode acontecer se você estiver identificado com o ego. A necessidade de saber quanto vai ganhar no fim do mês, de qual será o próximo passo, de como será o amanhã, vem da falsa sensação de controle sugerida pelo ego.

A segurança não está na certeza de que no final do mês você terá um bom salário, não está na certeza de que você irá chegar em casa e terá alguém te esperando, a verdadeira segurança está na certeza de que você e a Fonte são Um e, independentemente do que possa lhe acontecer, será sempre para o seu bem.

E quando você atingir esse estado de consciência, você não estará mais preocupado com o amanhã, no como as coisas irão desenrolar na sua vida, você apenas terá a certeza de que tudo será da melhor maneira que existir, que Deus é perfeito. A partir desse momento, toda incerteza que até então era encarada com medo e canalizada como insegurança, passa a ser compreendida como as infinitas possibilidades do Todo para criar o melhor para você.

Então se você quer se livrar de uma vez por todas do looping eterno de uma mente sem lembranças, se você quer realmente se livrar das oscilações, você terá que reestabelecer a confiança. E para que isso aconteça, você precisa mergulhar a fundo dentro de si, somente através do autoconhecimento é que você enxergará as crenças que te mantêm na ilusão da separação.

E meus queridos, eu utilizei o exemplo da insegurança na questão profissional por ser um caso muito comum entre os buscadores espirituais, mas o raciocínio serve para qualquer frente da sua vida: família, amigos, relacionamentos afetivo-sexuais… tudo que diz respeito a você identificar que não está feliz e ter medo de realizar as mudanças que devem ser feitas.

É por isso que a meditação é o caminho para a autorrealização. Quando você se torna o observador, quando compreende que o seu papel é o da testemunha, você permite que Deus se faça através de você e, quando isso acontece, quando você se torna um canal de manifestação do amor, você finalmente conhece a verdadeira segurança.

Busque conhecimento, emita amor, seja Luz!

 

  • Marcela

    Belíssimo texto! Porém ainda me questiono, como as pessoas que não tem onde morar, não tem o que comer, podem não se preocupar com o amanhã? Pessoas que vivem em constante perigo, as pessoas que estão para serem atingidas pelo furacão irma, enfim… Não consigo compreender a crueldade do mundo e como as pessoas que são atingidas por ela podem despertar…

  • Luiza LO

    “Então o looping eterno de uma mente sem lembranças é o produto da oscilação entre os momentos de confiança, onde você tem clareza do que deve ser feito, com os momentos de desconfiança, onde você cai nas armadilhas do ego e entra na insegurança mais uma vez.”
    Estou assim e não consegui explicar muitas vezes. Já tinha lido o texto do link, mas hj ele me tomou. Entendi. Esses dias estou com um sentimento de última hora, como se o tempo tivesse acabado. No meu planejamento, tudo está perfeito e faz sentido. Na 3d, nem tudo. Por a teoria na prática está gerando essa guerra. É, é isso, em guerra lutando por paz. Captei. Continuemos.