Página Principal / A Descoberta do Buda / A descoberta do Buda – Longa é a estrada

A descoberta do Buda – Longa é a estrada

Sutra: E para o andarilho, como é longa a estrada, vagando por muitas vidas! Deixe-o descansar. Não o deixe sofrer. Não o deixe cair no sofrimento.

Osho: Quanto tempo faz que você está vagando! Quando vai decidir ficar acordado? Você já dormiu por tempo suficiente. Já é hora de acordar e começar uma espécie de vida totalmente nova, que é vivida a partir de dentro. Acenda uma chama interior de consciência e, então, onde quer que você esteja, tudo é alegria.

Você precisa repousar, você já vagou o bastante. Você está cansado, extremamente cansado, fatigado, enfadado.

A hora é agora. Não sofra mais. Não caia repetidamente no sofrimento. Cair no esquecimento é sofrimento; lembrar-se é sair do sofrimento. E o descanso é o principal passo para a lembrança, para a consciência. O relaxamento é toda a arte da meditação e da bem-aventurança.

Como você descansar com tantos desejos? Eles continuam deixando você infeliz. Você só pode descansar se aprender o segredo do estado do não-desejo; se você aprender a viver o momento, sem nenhum futuro; se você aprender a viver sem nenhuma esperança no futuro; se você aprender a viver concentradamente no presente – totalmente envolvido no momento, nem atormentado pelo passado, nem atormentado pelo futuro, relaxado, à vontade – , então a meditação e a bem-aventurança, ambas, ficam fáceis; um espontâneo crescimento que nasce de um coração descansado, de um ser relaxado.

Despertando: Existem duas formas de se viver a vida: dormindo ou acordado. E isso corresponde a dizer que: ou você está sob os domínios do ego, ou está consciente que é Deus.

“E para o andarilho, como é longa a estrada, vagando por muitas vidas! ”

Por mais que você tenha uma bela casa, por mais que tenha um bom emprego, por mais que tenha poder, enquanto não se recordar que é Deus, você não passa de um andarilho.

Você se movimenta da casa para o trabalho, do trabalho para academia, da academia para a casa, como se soubesse o que está fazendo. Mas isso é ilusão, você está completamente perdido, você não sabe quem realmente é e, consequentemente, você não tem a mínima ideia do que está fazendo aqui.

E enquanto você estiver sob os domínios do ego, estará identificado com um “eu” ilusório que nada tem a ver com a sua verdadeira essência. E foi a partir dessa identificação que você caiu no esquecimento que “já É” para entra na ilusão do “tentar ser”.

Desde pequenos nós aprendemos que temos que ser alguém na vida. Você precisa ser isso, você precisa ser aquilo, você precisa ser assim, você precisa ser assado… Nunca alguém chegará em você e dirá: “Olha, esqueça tudo o que te disseram sobre o que você precisa ser, isso é tudo bobagem. Você já É tudo que existe, apenas deixe fluir espontaneamente através de você”.

E nessa de tentar se alguém você está aqui, encarnando há milhares de anos na Terra da terceira dimensão. E tentar ser alguém na vida, vida após vida, encarnação após encarnação, cansa. Tentar ser alguém na vida é se enquadrar no que é considerado ser alguém na vida para a sociedade e, toda tentativa de enquadramento, só pode ser feita às custas do sofrimento.

E a estrada pode ser longa o quanto você quiser, enquanto você acreditar na separação, enquanto se sentir diferente de Deus, só verá estrada no horizonte. Em outras palavras, você pode sofrer o quanto desejar.

“Deixe-o descansar. Não o deixe sofrer. Não o deixe cair no sofrimento”.

Aposente seu andarilho, chega de correr errado. Você está há milhares de anos tentando ser alguém na vida e continua preso ao sofrimento. E não que você não venha lutando para ser feliz, longe disso, mas chegou a hora de mudar a estratégia: não tente ser, apenas seja.

Dê um descanso para as expectativas, para os desejos de ser e apenas desfrute o agora, aproveite de quem você já é. Você tem se explorado muito pouco há muito tempo, está na hora de se experimentar mais.

Toda onipotência, onisciência e onipresença estão aí neste exato momento, dentro de você. A sua matéria prima, cada átomo do seu corpo, carrega toda onipotência, toda onisciência e toda onipresença.

E tudo que você precisa fazer é se tornar consciente disso, é acordar do sonho da separação. Todas as estradas levarão ao mesmo destino, só existe uma verdade. Mas você pode pegar o atalho do autoconhecimento, da meditação, da expansão da consciência.

Busque conhecimento, emita amor, seja luz!