Página Principal / A Descoberta do Buda / A descoberta do Buda – Tema perturbar a sua quietude

A descoberta do Buda – Tema perturbar a sua quietude

Sutra: Não devolva o que lhe é dado, nem tente pegar o que é dado aos outros, tema perturbar a sua quietude.

Osho: Não se encha de conhecimento. Mesmo que você venha a se conhecer, não se encha de conhecimento. Mesmo se tiver encontrado Deus, não se encha de conhecimento. Seja o que for que tenha descoberto, esqueça-se de tudo a respeito. Fique novamente inocente. Fique sempre no estado de não-saber; então, muito mais continuará acontecendo a você.

O que comumente acontece quando você entra em meditação é que algo acontece, mas você não se sente grato; ao contrário, você sente que aquilo era um direito seu – na verdade, deveria ter acontecido há muito tempo. Você é uma pessoa tão digna, tão virtuosa, tão santa; e você fez tanto! Por que você deveria ser grato?

Essa é uma abordagem errada; isso significa que você está parando o processo. Na gratidão, muito mais virá a você. Assim, mesmo se um pequeno vislumbre venha a você, sinta-se grato. Um raio de luz e… sinta-se grato, como se todo o sol tivesse vindo até você. E todo o sol virá, seguindo o raio. Mas se você não for grato, você ficará fechado; até mesmo o raio desaparecerá e você novamente ficará na escuridão, de volta à escuridão.

Raoni Duarte: Por quietude Buda quer dizer observação. Então quando ele diz quietude, ele não está se referindo apenas em ficar em silêncio, em aquietar seu corpo físico, ele está dizendo em manter-se no estado de não julgamento. E o estado de não julgamento, na verdade, nada mais é que o estado meditativo.

E estar no estado meditativo é estar na posição de observador. E por que observador? Porque na realidade última é exatamente isso que você é: o observador. E a lógica é simples: a ideia que nós temos do “eu”, do “você”, não existe, é apenas uma ilusão. O que existe é Ele, Deus, o Todo, se manifestando através de mim e de você.

Então quando você compreende isso, quando atinge esse estado de consciência, automaticamente, você dá licença para que Deus, para que o amor incondicional, possa se fazer através de você. E esse “dar licença” corresponde exatamente a se tornar o observador, a abrir mão dos seus desejos pessoais e deixar que o melhor para todos, que os desejos de Deus, se manifestem através dos seus dons e talentos.

Acontece que você está imerso em um sono profundo, você está tão identificado com o “eu” ilusório criado pelo ego, o “eu” que se julga ser tudo, menos Deus, que você se desconectou totalmente da sua essência. E a partir do momento que você se sentiu separado de Deus, a partir do momento que entrou na ilusão de não ser Um com a Fonte, você deixou de acreditar no seu poder de criação da realidade e passou a acreditar no destino, no acaso.

“Não devolva o que lhe é dado…”

Independentemente do que lhe aconteça, seja grato. Se algo de ruim lhe acontecer, pode ter certeza que essa colheita foi semeada, ou seja, você está colhendo exatamente o que plantou. Então não entre no vitimismo, não tente colocar a culpa no outro, não tente colocar na conta de Deus. Apenas seja grato por poder plantar e colher aquilo que quiser e, por mais que o plantio não tenha sido dos melhores, agradeça por poder colher.

Se algo bom lhe acontecer, pode ter certeza que essa colheita também foi semeada. Então não se surpreenda, não tente dar os méritos a outra pessoa, apenas seja grato pela sua colheita.

“… nem tente pegar o que é dado aos outros…”

Você não é o responsável pelo sofrimento dos seus familiares, você não é o responsável pelo sofrimento dos seus amigos, você só é responsável pelo seu próprio sofrimento. Compreenda que o processo do outro não está sob seu controle, tenha sempre em mente que, no final das contas, é sempre o livre arbítrio quem dita o jogo.

Assim como você precisa transcender a inveja. Se o outro está crescendo, se está prosperando, é sinal que plantou boas sementes e está tendo sua feliz colheita. Então se você deseja ter o mesmo sucesso que ele, observe seu comportamento, tenha em mente que a prosperidade é o resultado da emanação de pensamentos e sentimentos prósperos.

“… tema perturbar a sua quietude. ”

Permaneça observando, atento, consciente. A verdadeira felicidade não está naquilo que você pode possuir, no externo, nos desejos do ego. A verdadeira felicidade está na certeza de que você e a Fonte são Um, de que tudo é seu porque tudo é você.

Busque conhecimento, emita amor, seja luz!

 

  • Vinicius Kurabayashi

    Up !

  • Vinicius Kurabayashi

    Namastê amados.