Página Principal / Meditação em Palavras / Lei do carma vs roda cármica

Lei do carma vs roda cármica

Temos observado que muitas pessoas estão confundindo o fim da roda cármica, com o fim da lei do carma, e, onde existir confusão, haverá o Despertando para trazer clareza.

Ambas são leis, mas uma é universal, já a outra, planetária. O que não quer dizer que seja exclusiva da Terra, e sim, que não é, necessariamente, utilizada em outros planetas.

Vamos começar pela universal, a lei do carma.

E pensou em lei do carma, pensou em ação e reação. Somos compostos por sete corpos, que, por sua vez, são formados por átomos. Sendo assim, somos um campo eletromagnético, e, todo campo eletromagnético, atrai para si o mesmo conteúdo que emana.

A ação e reação acontecerá independentemente do planeta que você esteja, independentemente da dimensão em que você se encontre. É a lei do carma que garante a justiça do Todo, é nela que se baseia o livre arbítrio, e isso, nunca irá mudar.

Já a nossa querida roda cármica está com seus dias contados. Trata-se de um sistema evolutivo, um pacote de leis, que se enquadram apenas na terceira dimensão, sua aplicação se torna inútil em uma nação planetária com consciência de quarta dimensão adiante.

Todo planeta é criado, e administrado, por consciências que chegaram a um estágio evolutivo onde, qualquer desafio menor que administrar um planeta, seria perda de tempo, e, no Todo, não existe esse conceito. No caso da Terra, temos Jesus, o Cristo cósmico, como maior representante de uma grande equipe de consciências que criaram e sustentam, com muito amor, nossa mãe Terra e seus filhos.

E foi visando a evolução da Terra e seus habitantes que Jesus, e seus colaboradores, decidiram implantar o sistema evolutivo conhecido como roda cármica.

A roda cármica é como um jogo de vídeo game, e, a única forma de “zerá-lo”, de terminá-lo, é despertando, é lembrando a Centelha Divina que és.

E pensa num jogo complexo, para rodá-lo, para o tornar operacional, é preciso utilizar duas dimensões. Enquanto os jogadores estão “vivos”, encarnados, eles estão transitando na terceira dimensão, no lado de cá. Quando “morrem”, quando se transferem para o “outro lado”, continuam jogando em uma outra fase, agora em outra dimensão.

Essa é a famosa roda de encarnações, um processo que vem se repetindo há milhares de anos. Não existe limite de vidas, enquanto o jogador não acordar, não lembrar que é Deus, o Todo, existirá mais uma vida na terceira dimensão a ser vivida.

E vejam como o criador do jogo é benevolente, você não precisa estar encarnado para despertar, a iluminação espiritual é um estado que pode ser atingido a qualquer momento do jogo, não importa em qual fase você esteja, vivo ou morto, do lado de cá ou do lado de lá, tanto faz, basta apenas reconhecer o amor e estará livre.

E existe um pequeno detalhe que faz toda diferença no jogo. No momento de iniciar novamente uma vida, no momento que o jogador ganha um novo corpo na matéria, seu acesso a vidas passadas é interrompido momentaneamente.

A lógica por trás disso é muito simples, o criador do jogo é Ele, o Todo, e Ele, é o amor. Tirando as exceções, todos jogadores que estão iniciando mais uma vida na matéria é porque possuem sentimentos não-amor para resolver, para revive-los e mudar a atitude diante deles. O breve esquecimento é um presente do Todo, uma forma de recomeçar, de mudar os padrões negativos que foram praticados durante as encarnações passadas.

Mentes traiçoeiras pensarão: mas e os jogadores que estão no caminho correto, que estão buscando a evolução, não serão prejudicados pela falta de memória provisória? Pois saiba cara mente que, se o jogador estiver, realmente, no caminho certo, ele estará no caminho do amor, e, no amor, há compaixão, e ter compaixão, é pensar sempre no bem maior, no bem de todos. Com esse pensamento, sempre caberá uma nova chance.

Acontece que a mãe Terra está em ascensão, em breve ela passará a ser um vídeo game mais moderno, que não suportará jogos que rodam na terceira dimensão. Sendo assim, os novos-velhos jogadores terão que se adaptar a essa nova realidade.

Os jogadores que estarão no novo jogo, agora em quarta e quinta dimensões, serão aqueles que expandirem suas consciências rumo ao amor. A falsa ideia da morte será substituída pela compreensão da vida em outras dimensões, da certeza na eternidade da consciência.

Não haverá necessidade de nascer e morrer, nascer e morrer, pois, não existirá mais a morte do corpo físico, que não será mais físico como o da terceira dimensão, e que assim que demonstrar desgaste pela ação do tempo, sofrerá os ajustes necessários para durar mais 500 anos, em medidas terrestres.

Não haverá morte porque não existirá mais a crença na morte. O termino do corpo físico nada representa em termos de informação, nenhum dado é perdido com a sua desintegração. A morte, vista como fim, é uma crença impossível de ser sustentada, não possui nenhum fundamento.

O medo da morte dará lugar a certeza da vida, e um novo jogo estará disponível para aqueles que optarem pelo amor.

Nesse novo jogo não existe a necessidade de esquecer o passado, pois, todo passado, foi compreendido, aceito e perdoado. Todo medo, todo sofrimento, toda culpa, toda dor, serão sobrescrevidos pelo amor, pela compaixão.

No jogo que roda na terceira dimensão, os jogadores são organizados em famílias, o que na verdade, corresponde a união de seres que cometeram atitudes não-amor uns com os outros, e, para corrigir isso, renascem na 3D em posições como: pai, mãe e filho, estruturados em um conceito onde há o incentivo à prática do amor. Lógico que nem todas as relações são para resolver problemas, mas boa parte representam situações do passado a serem tratadas.

As novas famílias, que inclusive já estão sendo formadas na terceira dimensão, serão compostas por seres que possuem afinidade entre si, não serão mais necessários rótulos como: pai, mãe e filho. Todos se tratarão como iguais, como partes de um mesmo Todo.

O considerado mundo utópico por muitos, um mundo onde todos se reconhecem como iguais, onde o foco é no bem maior, na evolução de todos, é uma realidade universal para os habitantes de trilhares de planetas espalhados pelo Todo e está se tornando uma realidade para nossa querida mãe Terra.

O sistema evolutivo denominado roda cármica está sendo dissolvido pela consciência de vocês, queridos trabalhadores de Luz que estão despertando. E uma nova consciência, requer um novo sistema.

Busque conhecimento, emita amor, seja Luz!

  • Leonardo Jahn

    Belo texto, como sempre!
    Fiquei com a dúvida: por que então os seres extra terrenos temem serem presos pela roda (conforme dito no vídeo, se não estou enganado) sendo que, pelo que entendi, a roda é exclusivamente 3D?

    • Raoni Duarte

      Gratidão querido!
      Boa pergunta! Para os extra terrenos a roda cármica funciona da seguinte forma: eles podem visitar a Terra da 3D para missões de pesquisa, mas, caso interfiram na evolução do planeta, ficarão presos na roda cármica até que compensem a interferência realizada (ação e reação).

      Por sermos uma nação planetária extremamente violenta e belicosa, eles ficam com receio de nos visitar, já que, caso sejam vistos por nós, um ataque antes de qualquer pergunta será a atitude que será tomada pelos humanos terrenos. Não que isso represente algum perigo para eles, pois, a diferença entre as tecnologias chega a ser cômica, mas caso seja preciso uma reação, a mesma pode causar uma interferência que os prenda na roda de encarnações.

      É preciso entender isso: a roda cármica é uma lei planetária, aplicada a todos que transitam pela 3D da Terra.

      Espero ter esclarecido.

      Gratidão!

  • Bruna Matos

    Excelente reflexão!

    • Raoni Duarte

      Gratidão querida!

  • Naná Tarcila

    Adoro seus textos de Luz! Mas é claro que vou compartilhar!!! Gratidão querido!

    • Raoni Duarte

      Gratidão querida! _/_

  • Kevin Vieira

    Otimo texto! Muito explicativo!

    Estou começando um programa de desafios muito ligados ao despertar de uma consciencia mais livre!

    Se tiver interesse: http://www.desafiocoringa.com.br

    Abraço!

    • Raoni Duarte

      Gratidão querido!
      Vou dar uma olhada sim!
      _/_