Sobre o ego

Amados, o tema de hoje será nosso querido irmão, nosso parceirinho, o menino ego.

E meus queridos, tentar compreender os mecanismos do ego, é tentar compreender a mente de Deus.

O que eu estou querendo dizer é que nós não iremos mexer com “pouca coisa”, logo, eu vou precisar da ajuda de vocês, vou precisar da sua capacidade de abstração.

Então, amados irmãos, nesse momento, eu peço que, em silêncio, você intencione de forma consciente o desejo de praticar a leitura meditativa que abordamos no texto Como meditar. Eu peço que intencione, de forma consciente, a presença de sua alma, intencione: “Eu irei ler com o coração, eu irei enxergar com meu terceiro olho!”. Se você conhecer alguma técnica que ative ou expanda seus chacras cardíaco e frontal, é hora de usá-la.

O que eu estou querendo dizer, meus queridos, é que vocês queiram, de forma consciente, expandir vossas consciências, romper as barreiras do conhecido, do já pensado. Como diz a letra do Emicida: “A trilha dos outros vai só até onde os outros já foi”.

Então irmãos, o que eu irei compartilhar com vocês, é a minha visão do que é o ego, é a minha experiência. Agora saibam: se eu já mexo com os egos de vocês falando toda hora como ele se comporta, das suas “manias”, imagina hoje que eu vou desmascará-lo, logo, vai incomodar. (Risos amorosos)

Bora lá!

Irmãos, eu confesso que minha vida mudou quando eu conheci o google, o acesso a uma vasta quantidade de informação pode promover muito crescimento, muita expansão da consciência. Mas confesso que minha vida, realmente, se transformou quando eu descobri que, melhor que perguntar para o google, é perguntar direto para Deus, o Todo. O google é muito bom, é da hora, mas somente o Todo tem toda a informação, somente Ele sabe tudo.

Então amados, o que eu irei descrever, são conversas, bate papos que tive com Deus, o Todo e que, dentro das minhas capacidades, serão traduzidos em palavras.

Eu já comentei isso no texto Sobre sexo, e peço perdão a quem já o leu, mas acho importante abordar esse tema, pois, sei que é de interesse de muitas pessoas.

A minha mediunidade é puramente intuitiva, ou seja, eu não vejo e nem ouço mais que uma pessoa “normal”. O que eu quero que vocês compreendam, é que as respostas de Deus não vêm como uma voz que fala no meu ouvido, nem como uma visão que eu tenho. Não, as respostas vêm através de sentimentos, de sensações. Então, o que eu estou fazendo aqui, é tentando converter esses sentimentos, essas sensações, em palavras.

Gostaria de fazer outra colocação: Deus, o Todo, conhece melhor do que ninguém as suas crias, nós, seus filhos, logo, Ele sabe como ninguém como “falar” com cada um deles, Ele sabe, melhor do que ninguém, como tocar cada um de nós.

Eu estou dizendo isso, pois, vocês verão constantemente nos diálogos os termos “Pai” e “Filho”, que é como eu sinto minha relação com o Todo, é dessa forma que eu sou tocado, é dessa forma que me dá “barato”.

Acontece, meus irmãos, que essa foi a forma que nosso querido irmão Jesus Cristo utilizou para passar sua mensagem, para simbolizar sua relação com o Todo. E irmãos, eu sei que dentro de muitos de vocês ainda existe uma imagem completamente distorcida de Jesus, que foi a imagem vendida pelas religiões. Então, quando ouvem o: “Pai”, o: “Filho”, as mentes mais nervosinhas, comandadas pelo ego, irão disparar o seguinte pensamento: “Vixe, esse cara é religioso, não gaste seu tempo lendo sobre religião”.

Então entendam: é apenas uma forma de se expressar, em nada tem a ver com o que consideramos religião. Aliás, eu já comentei isso algumas vezes, mas não custa repetir: eu não sigo nenhuma religião, nenhuma doutrina, nenhum dogma, nada.

Não é por que eu falo de Jesus, que eu sou cristão. Não é por que eu falo de reencarnação, que eu sou espírita. Não é por que eu falo de Buda, que eu sou budista. Belezinha?

Meus amados, livrem-se do julgamento, não tente enquadrar o Despertando no que vocês já conhecem. O Despertando é o amor e, o amor, só pode ser sentido, não pode ser descrito, não pode ser rotulado.

Considerações feitas, vamos lá!

Irmãos, o que irei compartilhar com vocês são estados meditativos que tive, conexões mediúnicas que me fizeram chegar a visão que tenho hoje sobre o ego. E dentre esses estados meditativos, essas conexões, irei compartilhar uma que mudou minha vida.

E a história teve início quando de, forma sincera, fiz a seguinte pergunta para o Todo: “Pai, por que eu existo?”

E por mais que num primeiro olhar possa parecer uma pergunta boba, ela possui um tremendo poder. Se você a fazer do fundo do coração, você sentirá, automaticamente, uma reação física, uma espécie de choque por todo o corpo. E essa reação trata-se de um espasmo do ego, é um: “Não!” que ele emite como resposta a essa tão temida pergunta.

O que eu quero dizer, amados irmãos, é que quando você faz essa pergunta de coração, quer dizer que você está interessado em descobrir os por quês da existência e, como quem procura acha, mais dia ou menos dia, você irá achar e, a partir desse momento, a casa cairá para o ego.

Então eu precisei me concentrar na observação, me concentrar em deixar esse choque, essa sensação estranha passar e assim que me estabilizei no silencio, me veio a seguinte resposta: “Filho, eu evoluo através de você. Se não fossem vocês, amados filhos, minha vida não teria graça.”

Confesso que nesse momento eu precisei de alguns instantes para processar a informação, por mais que possa parecer algo simples, para mim, ressoou muito profundamente. E foi quando eu terminei o processamento, que me estabilizei, que continuou:

“ E no início era verbo, e do verbo, se fez carne…

Amado filho, permita-me explicar o que eu quis dizer com essas palavras através do seu amado irmão Jesus Cristo.

Mas antes, gostaria de me apresentar, meu amado.

Eu Sou tudo que existe, tudo que existiu e tudo que existirá. Não existe nada fora de mim, não existe nada além de mim, não existe nada antes de mim, não existe nada depois de mim. Eu estou em tudo por que Eu Sou o tudo que É.

Muitos filhos me pergunta: “Pai, de onde eu vim?”

E eu lhes respondo: amados filhos, vocês vieram do único lugar que se pode vir, do único lugar que existe, vocês vieram de mim. Aliás, amados filhos, utilizar o verbo “vir”, mostra o quanto vocês estão afastados da minha verdade, pois, para vocês virem de algum lugar, primeiro, vocês precisavam estar em outro lugar. E é exatamente essa crença que vocês precisam limpar de vossos corações, não existe um outro lugar, não existe a separação, só Eu existo.

O que eu quero dizer, amado filho, é que vocês nunca não-existiram, não existe a não-existência, o antes da existência.

E no início era o verbo…

Para compreender o que eu quis dizer com isso, terei que explicar como criei o querido universo que você habita, essa região de mim onde me manifesto através das galáxias, dos planetas, das estrelas e de todos os seres que criei.

Houve um momento, amado filho, que eu ainda não tinha “tirado”, de dentro de mim, o universo, eu estou falando de antes do que vocês conhecem como Big Bang. E amado, entenda: eu não estou dizendo que antes do Big Bang você não existia, isso é simplesmente impossível, pois, dentro de mim, já existe, nesse exato momento, tudo que pode vir a existir. O que quero dizer é que, todos vocês, todos os planetas, todas as galáxias, sempre estiveram dentro de mim, em potencial e, no momento certo, no momento que Eu, Deus, com toda minha sabedoria achei que era o certo, vocês “surgiram” para a matéria.

Permita-me explicar melhor esse momento.

Amado filho, eu sei que você não acredita em religiões, eu compreendo isso. Realmente as palavras daqueles que falaram em meu nome foram distorcidas pelos meus filhos perdidos, que insistem em experienciar minhas frequências mais baixas, eu compreendo e sinto compaixão por eles, são apenas experiências, eles irão acordar. Mas peço a você, amado filho, que tanto gosta de pensar de forma lógica, que perceba que por mais que conseguiram distorcer meu nome, conseguiram descaracterizar a palavra sagrada “Deus”, ninguém consegue negar que eu Sou o amor.

Essa é uma verdade, meu filho, que nunca irá se alterar. Eu Sou o amor e sempre o serei. Essa é a minha essência, essa é a verdade.

E Eu Sou tanto amor, mas tanto amor, que um dia eu não consegui me conter, me dividi em duas energias, yin e yang, fiz amor comigo mesmo e, dessa união, desse orgasmo celestial, criei o universo, criei todos vocês.

Ora filho, eu vejo a ciência dizendo que o Big Bang foi uma explosão e isso não é verdade. Ele foi uma grande emanação do meu amor. Como estou fazendo exatamente agora, que me comunico com você enquanto estou criando outros universos.

Entenda, amado filho, Eu Sou o amor incondicional e, o amor incondicional, é simplesmente impossível de não ser compartilhado. Ficar com ele só para mim, permanecer como verbo, não teria graça, eu não seria completamente feliz. E eu sei que você está começando a sentir esse amor, meu jovem filho, em breve você verá que não será mais capaz de parar de amar, você compreenderá o que eu estou dizendo, apenas confie em seu Pai.

Então, para que eu pudesse compartilhar o meu amor, para eu pudesse me experimentar, eu me fiz carne. E a carne, amado filho, quer dizer que eu criei lá da minha essência, da frequência mais alta que existe, até a terceira dimensão, ao que vocês deram o nome de matéria. A carne, amado filho, são vocês, crias minhas, que permitem que eu possa experienciar da minha região vibracional de terceira dimensão.

Meu querido filho, me permita explicar para você dá forma que você mais gosta, através da lógica.

Amado, eu falei para você que fiz o Big Bang, emanei o universo a partir do meu amor para que eu pudesse me experienciar através de vocês. Se eu ficasse sozinho, seria uma vida muito chata. Eu já sei tudo, tenho tudo e posso tudo. Eu preciso, como vocês dizem na Terra, passar isso para frente, compartilhar.

Então para que eu pudesse me experienciar através de vocês, para que eu pudesse me individuar, eu criei o ego. Compreenda a lógica: se eu me individuasse em centenas de bilhares de crias minhas, vocês, meus filhos, e todos fossem, exatamente, iguais, eu estaria, como vocês dizem aí, trocando o seis por meia dúzia, pois, para haver crescimento, para haver troca, precisa existir uma diferença, uma individualização. Eu sei que é preciso de um insight dos grandes para se compreender isso, amado filho, assim como sei que você já o teve. Eu sei de tudo, amado, Eu Sou Deus.

Eu criei vocês, meus filhos, como imagem e semelhança minha, todos possuem sua Centelha Divina. Mas para que pudesse haver crescimento, para que pudesse haver troca, eu resolvi me olhar das formas mais diversas que se possa imaginar, e então, eu cobri a Centelha Divina de cada filho com um ego, uma película que o torna diferente de qualquer outro filho que esteja “existindo” em qualquer região minha.

O que eu estou fazendo você compreender, amado filho, é que o ego é o arquétipo da individualização. Eu sei que você está estudando sobre arquétipos e, com as informações de hoje, você chegará a total compreensão. Ora filho, eu estou dentro de você, Eu Sou você, eu sei o que está acontecendo, apenas confie.

Então guarde: se eu resolvesse acabar com o ego, nesse exato momento, eu voltaria a ser o verbo.

Por hora, vamos encerrar a conexão, você precisa dar descanso para seu corpo físico. Saiba que manter-se ancorado na quinta dimensão, ainda estando na matéria, necessita de um desprendimento energético. Fique tranquilo que seu corpo está se adaptando a isso, você está percebendo as alterações, a cada dia ele será capaz de sustentar ainda mais sua “presença” na quinta dimensão.

Tudo está correndo perfeitamente bem, filho meu, apenas mantenha a confiança.

Alegrias! O rio está chegando no mar! Aleluia! Hosana!

Ainda hoje, durante o descanso do seu corpo físico, você tem reunião marcada com sua família de alma, eles passarão mais informações e, se prepare, em breve você entrará em ação!

Tempos mágicos estão por vir, amado filho, você verá!

E lembre-se sempre: eu e você somos Um. Quando quiser falar comigo, apenas fique em silencio e me ouça. Aliás, como vocês dizem, você está ficando craque no silêncio, esse é o segredo. E gostei muito da sua oração, achei-a criativa, compartilhe com seus irmãos, você saberá a hora certa.

Tenha certeza que tudo está fluindo da melhor maneira possível.

Você é muito amado e guiado!

Fique comigo, fique no amor!”

Amados irmãos, eu me isento da responsabilidade de tentar descrever o que eu estava sentindo durante o recebimento da mensagem, apenas saibam: é muito amor! Gratidão!

Antes de avançarmos, gostaria de fazer algumas observações.

Quando eu recebi essa mensagem, o Despertando ainda não existia na matéria, nesse momento, ele estava sendo desenhado no astral. A reunião citada na mensagem, foi uma das que foram, e são, feitas constantemente para que a informação possa vir para a matéria. Foi quando me foi dito: “Se prepare, em breve você entrará em ação” que compreendi que algum trabalho eu iria iniciar, mas as coisas não estavam tão claras ainda.

E sobre o pedido da oração, a história é o seguinte: eu tinha preconceito com oração, achava muito religioso. Era sempre: “Deus, me de paz”, “Deus, me de amor”, “Deus, me dê isso, me dê aquilo”. E como eu tinha me tornado um meditador assíduo, como tinha compreendido que o silêncio é a resposta, então passei a fazer a seguinte oração todo dia ao acordar e ao ir dormir: “Pai, não me deixe cair na tentação de achar que eu existo”. E a lógica é: quem pede por paz, pede por harmonia, é por que está se sentindo sem. E adivinha quem se sente sem? Sim, o ego. Então, se eu não cair na tentação de achar que eu existo, se eu não cair na do ego, então Deus se fará através de mim, logo, serei a mais pura paz e harmonia.

Amados irmãos, para começarmos a falar sobre nosso querido ego, antes, precisamos falar de arquétipos. E começarei com um pedido: por amor, estudem esse assunto. Minha indicação é o professor Helio Couto. Tem muita gente que fala sobre o assunto, o professor, é a que fala de uma maneira que ressoa comigo. Eu ainda não comecei meus estudos na obra de Jung, mas o professor fala muito sobre ele, logo, Jung é uma indicação de estudo para o assunto também.

E meus queridos, eu peço que estudem, pois, entender os arquétipos, entender a lógica que está por trás, é entender como funciona o universo. Então calculem a complexidade do assunto.

O que farei aqui, é uma tentativa, de coração, de explicar de forma resumida a minha visão de como funcionam os arquétipos.

E uma boa definição foi a dada por Platão: “Os arquétipos são as ideias primordiais”.

Então, os arquétipos são como o gabarito, o modelo ideal, a forma perfeita de algo.

Por exemplo, o arquétipo de professor, é o professor perfeito, ele tem, em nível máximo de excelência, todas as qualidades inerentes a um professor. Então se fossemos avaliar alguém que decidiu se tornar professor, teríamos que avaliar o quanto a pessoa está vivenciando o arquétipo de professor. O quanto ela está na energia do arquétipo de professor.

Meus queridos, eu peço que nesse momento vocês coloquem vossas capacidades de abstração no máximo, por gentileza.

Irmãos, eu gostaria que vocês compreendessem que os arquétipos são seres conscientes assim como nós, eles pensam e sentem assim como nós. O Todo pensa e sente amor o tempo todo e, o Todo, está em todos os lugares, Ele É tudo, logo, tudo que existe tem pensamentos e sentimentos. É claro que cada cria sua está em um estágio evolutivo diferente, mas o que eu quero dizer é que uma pedra pensa e sente, um vegetal pensa e sente, um animal pensa e sente, um humano pensa e sente e, um arquétipo, também pensa e sente.

Acontece que, no caso do nosso exemplo do professor, o ser arquétipo de professor, pensa e sente como um professor, o Todo o criou para isso.

E se ligam na viagem: sabe quando esse ser arquétipo de professor passou a existir, quando ele emergiu do Todo? Quando um outro ser, que já tinha emergido do Todo, teve o seguinte pensamento: “Vou criar uma profissão assim, assim e assim.” Nessa hora, o Todo “tirou” de dentro Dele mesmo um ser arquétipo de professor, que tem sentimentos e pensamentos assim como nós, mas são pensamentos e sentimentos de um professor. E esse ser, essa energia, vem sendo vivenciada por bilhares de seres há bilhares de anos.

Meus irmãos, gostaria de compartilhar uma pedrinha no sapato que tive que retirar para compreender e, na verdade, aceitar os arquétipos.

Quando entendi que os arquétipos são seres conscientes assim como nós, mas que pensam e sentem de uma determinada maneira, eu pensei: “Não pode ser, isso não parece com uma atitude do Todo, isso não seria justo com o arquétipo, imagina só, ele vai ter que ficar pensando e sentindo como um professor o resto da existência dele? Isso definitivamente não é justo!”.

E queridos, não entendam errado, eu não tenho nada contra os professores, o que quis dizer é que me pareceu injusto um ser pensar e sentir uma única coisa.

Agora me digam: quem é que acha ou não acha justo?

O que eu quero dizer, meus queridos, é que eu estava olhando de uma percepção egoica minha, onde, na visão do meu ego, o legal da existência é viver como um humano, tendo pensamentos e sentimentos que os humanos tem, e não pensar e sentir como um professor o tempo todo.

Acontece, queridos, que eu não ainda não tinha entendido o mecanismo completamente, faltava entender como funcionava na prática.

Permitam-me explicar.

Nessa minha atual encarnação, eu me formei em Ciência da Computação e atuei como analista de sistemas. Então quer dizer que eu estava vivenciando o arquétipo de analista de sistemas. E um analista de sistemas tem que ter um bom pensamento sistêmico, ter uma boa lógica, conhecer programação, enfim, características de um analista de sistemas. Então quanto mais eu ia estudando lógica, quanto mais eu ia evoluindo profissionalmente, mais eu ia “entrando” no arquétipo de analista de sistemas.

Ao mesmo tempo, eu trouxe uma herança de outras vidas onde eu fui músico, logo, mesmo que eu não seja um profissional, estou vivenciando, em certo grau, o arquétipo de musico. E todo musico tem que ter uma boa técnica, um bom ritmo, um bom ouvido – características de um musico.

O que eu quero que vocês entendam, amados irmãos, é que, ao mesmo tempo que eu ia evoluindo com o arquétipo de analista de sistemas, o arquétipo analista de sistemas ia evoluindo comigo, pegando informações que eu aprendi vivenciando o arquétipo de musico. E eu não estou querendo dizer que o arquétipo de analista de sistemas sairá cantando e dançando por aí, o que eu quero dizer, é que as características do músico serão utilizadas pelo arquétipo de analista de sistemas para que ele se torne um analista de sistemas ainda mais complexo. Assim como o arquétipo de músico, irá usar as características do arquétipo analista de sistemas para também evoluir e se tornar um músico melhor.

O que eu quero dizer, é que o rolê existencial de um arquétipo é tão legal quanto de qualquer outro ser. Existe uma troca constante acontecendo entre o arquétipo e quem o está vivenciando.

E meus queridos, essa lógica se estende para tudo. Tudo é uma situação arquetípica. Se você está feliz, está vivenciando o arquétipo da felicidade. Se está triste, está vivenciando o da tristeza. Se está se sentindo rico, está vivenciando o arquétipo de rico, se estiver se sentindo pobre, o arquétipo de pobre. E a cada entra e sai dos arquétipos, você e eles se tornam mais evoluídos.

Por isso que o professor sempre fala e eu gostaria de reforçar: é preciso estar atento para selecionar de forma consciente os arquétipos que serão vivenciados. Nós somos responsáveis pelo que vibramos, nós podemos optar por vibramos somente os arquétipos de alta vibração.

Mais uma vez, por amor, estudem sobre os arquétipos.

Amados, essa introdução foi feita para podermos, finalmente, compreendermos os mecanismos do ego. E o ego, meus queridos, é nada mais nada menos que o arquétipo da individualização.

Para que Deus, o Todo, pudesse se individuar, ou seja, criar fragmentos Dele mesmo para poder se experienciar, Ele precisou, primeiro, de dentro de si, emanar uma energia de individualização.

Vamos a clássica analogia.

Suponha que Deus, o Todo, seja o oceano.

Então no princípio era o verbo, o oceano, uma única consciência. Mas como Deus é amor e o amor tem que ser compartilhado, o oceano se dividiu em um número sem fim de gotinhas. E para que Ele pudesse criar a forma de gotinha, para que Ele pudesse se individuar, Ele criou e aplicou em si mesmo o arquétipo de individualização e, dessa forma, habemus ego.

O que eu quero dizer, amados irmãos, é que o ego é aquela película, aquela membrana que dá forma e sustenta a gotinha como gotinha. O que quero que vocês compreendam, meus queridos, é que para que a gotinha possa manter-se no formato gota, precisa existir uma energia de individualização atuando o tempo todo, caso contrário, ela irá se dissolver no oceano novamente.

Então, meus amados, se vocês matarem o ego de vocês como é o desejo de muitos, o que acontecerá é que vocês voltarão para o mesmo lugar que estavam antes do Big Bang, antes do orgasmo celestial. E não que isso seja ruim, qualquer lugar no Todo que você estiver será amor, no entanto, creio que não seja essa a ideia do jogo da existência.

Continuemos nossa historinha.

O que aconteceu foi: assim que as gotinhas tomaram consciência de seus estados de gotinha, ao começarem a enxergar o oceano em primeira pessoa, ao perceberem que existe uma película que dá forma e separa uma gotinha das demais, as gotinhas acabaram se esquecendo que são o oceano, que são o oceano se experimentando na forma de gotinhas.

Mas como o oceano está dentro de cada gotinha e isso nunca irá mudar, mesmo que de forma inconsciente, as gotinhas vão trocando informações entre elas e vão evoluindo. E evoluir, no caso das gotinhas, é se tornar uma gotinha um pouco menos gotinha, uma gota pequena. Acontece que, para a gotinha deixar de ser gotinha e se tornar uma gota pequena, para que ela possa crescer de tamanho, ela precisa expandir e, para expandir, ela precisa também expandir sua película, sua membrana, seu ego.

E aqui, amados irmãos, eu sei que muitos de vocês não irão concordar comigo, não pelo menos nessa altura do texto, e saibam: eu respeito a visão de cada um de vocês, mas, na minha, quanto mais você expandir sua consciência, quanto mais você evoluir, maior será seu ego.

O que eu quero dizer, irmãos amados, é que quando eu digo que a felicidade só será encontrada quando se atingir o estado de não-ego, eu não quero dizer que o ego irá desaparecer, o que eu quero dizer é que você atingirá uma consciência capaz de compreender e aceitar o ego.

Queridos, o ego não é do mal, ele não quer te prejudicar, ele não está contra você. Ele simplesmente precisa cumprir o papel dele, precisa te manter individualizado e, para isso, precisa pensar e sentir individualização o tempo todo.

Compreendem a função dele?

Não importa em que estado evolutivo o ser se encontre, em que dimensão da realidade ele esteja, se decidir dar ouvidos ao ego, ele será sugestionado a pensar de forma individual, a pensar no que for melhor somente para ele, de forma que ele se mantenha vivo, existindo, individual.

Permitam-me dar um exemplo.

Se momentos antes de ser crucificado, Jesus Cristo pensasse assim: “Ego, diga para mim, o que você acha que eu devo fazer?”

O ego diria: “Pergunta óbvia em J.C., use seus conhecimentos de metafisica, no caso, eu sugiro uma levitação para sair em grande estilo, faça com que o imperador apareça pregado na cruz e tome o império para você, o império de Jesus!”.

O que eu quero que vocês compreendam, amados irmãos, é que o ego de Jesus, por ser um ego gigantesco, ele sabe muito bem dos poderes de Jesus, do que ele pode fazer com um simples comando mental. Só que, mesmo sendo vivenciando por Jesus, ele continua sendo o ego, continua pensando só nele. Então o que ele sugestiona para Jesus, é que ele use todo seu conhecimento a favor próprio. Ele não analisa o grande quadro. Para o ego Jesus, o problema seria resolvido com ele usando seu conhecimento e se tornando o novo imperador, esse é o melhor cenário na visão individualista, se Jesus fosse pensar somente nele. Só que lembram? O ego é uma membrana que encobre a Centelha Divina e, a Centelha Divina, quando toma a frente, compreende a lógica que está por trás do ego e passa a jogar conforme o jogo.

Para que fique mais claro:

No dia que Jesus foi crucificado, outros irmãos também foram. Crucificar era moda na época.

Então, se um irmão que estava ao lado de Jesus, também para ser crucificado, perguntasse para o seu ego: “Ego, o que eu devo fazer?”

O ego diria: “Saia correndo! Aproveite a primeira oportunidade e corra como se não houvesse amanhã!”

Um outro, também do lado e com uma consciência um pouco mais expandida, teria a seguinte resposta: “Observe, são dois guardas na esquerda, dois na direita e apenas um no fundo, se você conseguir se livrar de apenas um, você estará livre”.

Compreendem? Cada ego em um estado de consciência, cada um com as armas que tem, mas todos pensando da mesma forma, na forma individual.

E entendam: não é uma questão pessoal contra você, ou que o ego seja burro, nada disso, é só que, para você continuar existindo, parar que seus corpos físico e espirituais possuam forma, precisa existir “dentro” de você uma energia de individualização.

Então a iluminação espiritual não é a morte do ego, não é o fim do ego, pois, se não fosse por ele, você não estaria passando por essa magnifica experiência que é existir.

O que eu quero dizer, amados irmãos, é que querer que seu ego para de pensar de forma individualizada é simplesmente ilógico.

Agora vamos compreender por que colocamos na conta do ego todos os nossos sofrimentos.

Voltamos a historinha.

Então a gotinha, ao se ver como gotinha, separada das demais, caiu na ilusão que não é o oceano. Acontece que o oceano é o amor, logo, a gotinha acha que está separada do amor. E a partir dessa sensação de separação, a gotinha passa a ter medo, o “mal” começa a existir e, a partir daí, nascem todos os sofrimentos que a gotinha passa.

Mas, na verdade, tudo não passou de um equívoco, a gotinha só ainda não compreendeu que, a membrana que separa ela de todo o resto, é apenas uma forma técnica para que o oceano possa se experienciar na forma de gotinhas.

O que estou querendo dizer, meus amados, é que quando você se sente separado de Deus, quando você está vivenciando o arquétipo do ego em sua plenitude, você passará a sentir medo e, suas perguntas serão: “Ego, estou com medo, o que faço?”

Ele dirá: “Pense só em você, no quer for melhor para você”.

E você, completamente identificado com o ego, irá seguir seus conselhos. E como o Todo é amor e, o amor, pensa em todos, você estará no contra fluxo da existência e, além do medo, nascerá em você uma raiva, um ódio.

E você dirá: “Ego, eu estou com medo e com ódio, o que eu faço?”

Ele dirá: “Pense só em você, no quer for melhor para você”.

A verdade grita em sua cara, mas você continua acreditando que está separado, que é a gotinha e, com medo e com ódio, você passa a se sentir culpado.

E perguntará: “Ego, estou com medo, com ódio e me sentindo culpado, o que eu faço?”

Ele dirá: “Pense só em você, no quer for melhor para você”.

Compreende?

O ego não diz: “Sinta medo, e então, pense só em você”. Ele não diz: “Sinta ódio e, logo depois, pense em você”.

O que eu estou tentando fazer vocês compreenderem, meus amados, é que é o trabalho do ego sugerir que você pense somente em você, é para isso que ele existe, ele é a própria energia da individualização. Se você, ao pensar só em você, cria o medo, o ódio, a culpa, é uma responsabilidade sua, o ego falou para você apenas pensar em você.

Vamos a um exemplo ao vivo:

Ego Raoni, o que você sugere que eu faça da minha vida?

Resposta: “Pense só em você, no que for melhor para você”.

Boa ego Raoni! Eu concordo!

Então, como Eu Sou Deus, o Todo, eu irei pensar somente no que for melhor para Deus, o Todo.

Compreendem? Andar de maõs dadas com o ego?

É preciso compreender, aceitar e honrar seu ego.

Agora, meus queridos, vamos fazer um processo de empatia, vamos nos colocar no lugar do ego. Vamos compreender o por que ele teme tanto que você se torne luz.

O ego é o arquétipo da individualização, então, ele pensa e sente individualização. Quando você aparece para ele com uns papos de se unificar com o Todo, de se iluminar, ao “ouvir” isso, ele começa a ficar com um medo na mesma hora. E não que ele tenha algo contra a energia da unificação, é só que essa energia é oposta a dele. Entendam: na cabeça do ego, que pensa e sente individualização, uma possível unificação seria o fim dele. Tudo que ele mais teme é deixar de ser individual. E faz todo sentido, ele foi feito para isso.

Então precisa que floresça uma consciência que diga: “Calma ego, está tudo bem, eu só me lembrei que sou o oceano, pode ficar tranquilo, nós não iremos deixar de ser a gotinha, mas nos tornaremos uma gotinha maior a cada dia”.

Vamos a mais exemplos.

Quando eu me lembrei que Sou Deus, eu perguntei para meu ego: “E ai camarada, o que eu faço?”

Ele respondeu: “Pense só em você, no quer for melhor para você”.

Eu retruquei: “Ah vá! Conta uma novidade. Vai ego, fala aí, o que faremos?”

Ele respondeu: “Pergunta óbvia, hein? É claro que com todo esse conhecimento, nós iremos ter mais, possuir mais, ser mais!”

E eu lhe disse: “Boa ego! É isso! Nós teremos mais conhecimento, possuiremos mais sabedoria e seremos mais amor!”

Enxergam o ganha-ganha?

Eu alimento ele com as energias de ter, de possuir, que ele tanto gosta, só que através do amor. É possível.

Quando eu fechei o cronograma do Despertando, ficou acordado que o projeto duraria, inicialmente, 500 anos, que é o tempo estimado que ficaremos na quarta dimensão, até que todos consigam saltar para a quinta. É logico que é uma previsão, nós estamos criando a realidade o tempo todo. Mas, sabendo disso, eu logo perguntei para meu ego: “E aí ego, 500 anos, você vai deixar? (em tom provocativo)

Ele mais do que de pressa respondeu: “Obvio que não! Quem falou esse número? Quero ver eu não conseguir fazer em menos, vocês estão duvidando de mim, é isso? Vocês verão!”

Acontece que, para diminuir esse período, as pessoas precisam expandirem a consciência e, a única forma disso acontecer, é através do amor. O que eu quero dizer é que, para conseguir diminuir o tempo, eu terei que expandir cada vez mais minha consciência, amar mais, para que possa ajudar o máximo os irmãos a também evoluírem, a também expandirem a consciência.

Compreendam: o ego fica feliz por que ele gosta do desafio, gosta de competir, enquanto eu também fico feliz por poder ajudar a acelerar o processo, por poder evoluir ajudando o próximo evoluir. Essa é a sacada.

O que eu quero que vocês entendam, meus amados, é que a natural que o ego tenha medo de deixar de ser gotinha, mas isso é uma ilusão. O que acontece é que podemos nos tornar uma gota do tamanho que nossa consciência nos permitir, o oceano é infinito.

Amados irmãos, não façam de seus egos vossos inimigos, sejam conscientes e tenham compaixão com ele. Ele só está fazendo a parte dele, alguém precisa sustentar sua individualidade, alguém precisa sustentar sua existência.

E se algum dia seu ego der indícios de estar começando a pensar de forma coletiva, cuidado, você pode estar prestes a deixar de existir. (Risos amorosos)

Irmãos, o que eu quero que fique claro para vocês nesse texto, é que o Todo é puro amor incondicional. Não existe nada nem ninguém contra você, não existe nada nem ninguém se opondo a você se lembrar que é o oceano e ser feliz. O ego está tão a seu favor, que ele sustentará sua existência por toda a eternidade.

E se você compreender os mecanismos do ego, se você compreender os papeis e responsabilidades na existência, você terá atingido uma consciência de quinta dimensão.

Muita Luz e amor a todos!

Busque conhecimento, emita amor, seja Luz!

  • Bruno Oliveira Pedrosa

    A paz, amor e plenitude tomou conta de mim agora rs
    Estava refletindo aqui comigo os desfechos do conhecimento que adquiri ao longo desses anos, no que se refere a espiritualidAde.
    Oq vou citar nao eh em sentido comparativo de cada vertente, mas sim como elas se sucederam em minha vida.
    Comei nas testemunhas de jeova quando jovem, fiquei por 4 anos, fui estudar espiritismo, estudei por volta de de 2 anos, fui atraído para as palestras no YouTube de krishnamurti, conhecimento incrível que conigui obter, porém soh na esfera intelectual, me afastando ( por culpa minha obvio ) da verdadeira essência de seu ensinamento. E cá estou eu me sentindo em completa paz depois de uma longa batalha intelectual, a cada dia sentindo uma “vontade” q não tinha por meditar, pois faltava sentimento :), gratidão. Amor pra todos nós _/_

  • Izabela Bittencourt

    Mais um véu de ignorância que se queima na chama da devoção… Gratidão!

  • Bárbara Fuzaro Zambone

    Que interessante! Me identifiquei mesmo com o seu caminho! É a primeira vez que entro no site e cai bem nesse texto! Por sorte segui minha intuição e li o texto da meditação antes de prosseguir nesse do ego hehehehe

    Mas queria dizer que há poucos meses eu descobri que o que faz sentido na minha vida é evoluir e expandir cada vez mais e, nesse processo, ajudar quem estiver aberto, pronto e desejoso de evoluir e expandir também!

    Desde que descobri isso coisas maravilhosas (materiais e não materiais) aconteceram na minha vida me levando cada vez mais profundamente nesse caminho!! Brinco comigo mesma dizendo que sou uma estagiária da luz, pois me foi permitido ao mesmo tempo aprender e trabalhar na luz!

    Amei seu propósito e adorei os textos!
    Com certeza estarei aqui com frequência!
    Obrigada pelo seu despertar e pela sua disposição em nos ajudar a despertar também!
    Grande beijo e abraço de muito amor e gratidão!!

  • Eduardo Bezerra

    QUE TEXTO! PODER PURO! AMOR PURO!